O que você precisa saber sobre internação involuntária São Paulo | Calhas e Coifas São Paulo

O que você precisa saber sobre internação involuntária São Paulo | Calhas e Coifas São Paulo

O que você precisa saber sobre internação involuntária
Clique para ampliar


O que você precisa saber sobre internação involuntária

Pode ser que esse realmente não seja um método dos mais convencionais, mas trata-se da melhor maneira de tratar uma pessoa que não está disposta (ou não reconhece a necessidade) de se tratar do álcool e das drogas. Se você é dessas pessoas que tem tais pensamentos errôneos, é hora de mudar suas concepções porque a internação involuntária, embora dolorosa para a família e para o dependente, pode ser a única alternativa realmente viável para alcançar a libertação absoluta de quem está vivendo no vício.

COMPREENDA A INTERNAÇÃO INVOLUNTÁRIA

A internação involuntária é uma modalidade de tratamento que tem como objetivo atender e reabilitar os dependentes de álcool e drogas que estejam em situação grave de vício. A ideia é promover a recuperação do paciente, ainda que inicialmente contra a sua vontade, em todas as suas dimensões, a saber:

- Dimensão humana (ou física);
- Dimensão emocional;
- Dimensão psicológica;
- Dimensão espiritual.

Por que dizemos “ainda que inicialmente”? Porque um dos pilares do tratamento involuntário é a conscientização do dependente, que deve ser capaz de, após passar pelas terapias e pelo período de desintoxicação, reconhecer sua necessidade de cura e aderir ao tratamento. Caso o paciente não seja capaz de fazê-lo, fatalmente não terá sucesso em seu processo de reabilitação.

AS GARANTIAS QUE VOCÊ PODE TER

Compreenda que nós não queremos apontar o dependente como o culpado pelo fracasso do tratamento, embora ele tenha enorme responsabilidade em todo esse processo. O que realmente é o diferencial nesse momento é a competência da equipe que está responsável por conduzir o processo, que deve ser capaz de levar o paciente a encontrar dentro de si essa necessidade, o gosto pela retomada da vida, pelo reencontro com a sobriedade, com o auto-domínio e a auto-estima.

Esse, claro, é um serviço que deve ser feito com o apoio de uma equipe multiprofissional, com médicos, psicólogos, nutricionistas, terapeutas, etc.

Todos envolvidos com a missão de proporcionar mais bem estar ao paciente que fora internado involuntariamente, mas que conscientemente irá tomar a decisão de mudar de vida.

A PRESENÇA DA FAMÍLIA

Um dos maiores receios dos familiares é quanto ao isolamento do paciente e os maus tratos que ele pode vir a sofrer sem poder se manifestar. Mas em clínicas realmente sérias esse tipo de coisa não existe.

Os familiares são levados a participar do dia a dia do tratamento para que possam ver com seus olhos a mudança acontecer na vida do dependente. Além do mais, as clínicas que lidam com seres humanos devem ter clareza quanto aos direitos da pessoa humana e jamais praticar qualquer ato de tortura ou que de alguma maneira atente contra a dignidade da vida humana.

MITOS SOBRE O USO DE SEDATIVOS

Não é verdade que o paciente involuntário seja submetido à sedação 24 horas por dia.

Desde o momento da internação involuntária e até o momento em que o paciente é liberado da internação o uso de sedativos e quaisquer outros medicamentos devem ser evitados, a menos que sejam estritamente necessários e indicados pela equipe médica.

Os cuidados dados aos pacientes buscam mantê-lo sempre sóbrio, no uso de suas faculdades mentais, para que ele compreenda o que de fato está acontecendo com ele e de que maneira pode colaborar para isso.

CUMPRIMENTO DAS EXIGÊNCIAS LEGAIS

Uma clínica que oferece o tratamento involuntário precisa estar legalmente instituída como empresa no Brasil.

Para isso precisam estar quites com suas obrigações com os Poderes Públicos Municipal, Estadual e Federal.

Se a clínica não estiver cadastrada possivelmente trata-se de um trabalho clandestino, do qual os resultados certamente não serão bons!

O que você precisa saber sobre internação involuntária