Eu. você e seus amigos dependentes químicos São Paulo | Calhas e Coifas São Paulo

Eu. você e seus amigos dependentes químicos São Paulo | Calhas e Coifas São Paulo

Eu. você e seus amigos dependentes químicos
Clique para ampliar


Eu. você e seus amigos dependentes químicos

Mas infelizmente nem tudo são flores e em alguns momentos essas amizades se transformam em problemas de difícil solução, exatamente pelo imenso poder que possuem de persuasão sobre o ser humano. É o caso que ocorre quando o que está em debate são as drogas.
Nesse artigo, compreenda por que a companhia de dependentes químicos é tão perigosa e a quais riscos você está realmente exposto quando se dedica a essa prática.

O PERIGO DE SE CONTAMINAR COM AS DROGAS

O termo é forte, mas é isso mesmo o que acontece: uma contaminação. As drogas são, no geral, muito fascinantes: proporcionam descontração, euforia e uma incrível sensação de bem estar. Só que depois surgem também os efeitos ruins, como o mal estar e a síndrome da abstinência.
Todos sabemos disso, mas a pessoa que está em contato constante com um dependente químico sem p menor preparo para lidar com tal situação acaba enxergando somente o lado bom das coisas, embora esse seja meramente fantasioso.
O perigo que apontamos, e com o qual você realmente deve se preocupar, é que isso termine contaminando-o, de forma que esse estilo de vida o deslumbre e você termine se envolvendo com as drogas também.

HÁ AINDA OUTROS RISCOS INERENTES A ISSO...

Nem sempre o dependente químico é um moribundo que está vivendo em condições subumanas nos becos e guetos das cidades. Quando o são, representam riscos devido a essa condição. Mas e quando não o são?
Os perigos ainda existem da mesma maneira, já que na realidade o que se considera aqui não é a situação física e sim o habito do consumo, que envolve outros problemas como o traficante e o crime de tráfico de drogas por exemplo.
O fato é que as drogas desenvolvem no ser humano a submisão da vontade porque age sobre a mente, tornando o dependente alguém em situação de desequilíbrio. Ou seja, estar convivendo com alguém que julga “normal” a utilização de drogas é o mesmo que estar na companhia de uma pessoa doente que não admite precisar de tratamento.

A DIFÍCIL SITUAÇÃO DA FAMÍLIA

Somos eu, você e seus amigos dependentes químicos. Como iremos proceder diante dessa realidade se sei que eles serão prejudiciais para você e gostaria de poupá-lo de tudo isso? Esse drama é vivido por inúmeras famílias e provavelmente é o que vive a sua também. Na impossibilidade de tomar as decisões pelo outro, os familiares vivem em estado de apreensão, sabedores de que as coisas não estão bem, mas com as mãos atadas, sem ter o que fazer pelo outro. Se houver de fato interesse de lutar juntos, toda a família deve lutar junta para evitar que esse mal se enraíze e se prolifere.

Deixe de lado as amizades ruins e se dedique ao bem de todos os seus!

Eu. você e seus amigos dependentes químicos